Meu negócio pós crise – Pipow

Meu negócio pós crise

Como você acha que o Brasil será após a pandemia? Você acha que voltaremos a normalidade de antes? Será que a normalidade de antes ainda será aceita?

Recentemente estava procurando um Podcast para ouvir e não tinha certeza sobre qual assunto, então enquanto buscava e ouvia os resumos, um me chamou a atenção e me envolvi ao ponto de nem anotar qual o canal e quem estava sendo entrevistado, tamanho foi meu envolvimento, e o assunto circundou minha mente ao longo da semana toda e pensei, isso faz muito sentido e, mesmo não sendo de muitas palavras, acho que merece meu posicionamento.

Como você acha que o Brasil será após a pandemia? Você acha que voltaremos a normalidade de antes? Será que a normalidade de antes ainda será aceita?
Antes de pensar numa resposta para essas questões, passei a me questionar e a analisar algumas possibilidades.

O Brasil, historicamente, é um país que sabe suportar e superar crises. Já provou isso muitas vezes e essa será mais uma que entrará nessa lista. Cada crise traz consigo oportunidades de mudanças, e alguns setores sempre se destacam crescendo a cima da média. Essa verdade, me dá esperanças de que o país vai retomar o crescimento econômico após a pandemia. Teremos diversos setores, com graves problemas, porém outros com altos desempenhos. Pequenos negócios, geralmente são os primeiros afetados, porém se o empresário for atento as mudanças que a economia terá, facilmente conseguirá se adaptar e voltar aos negócio. Empresas de porte médio, serão as mais atingidas, para menos e para mais. Para menos, porque os primeiros desempregos serão gerados dessas companhias e financeiramente, são elas que mais terão que investir para se adequarem as novas realidades. Por outro lado, para mais, são essas que mais terão oportunidades de melhorias em seus processos e redução de custos e se estes forem bem conduzidos, poderão trazer benefícios gigantescos aos seus negócios e resultados acima dos esperados. As grandes companhias, em geral, possuem estruturas que demandam grande esforço para adequações e com isso serão as que menos investirão a curto prazo, no entanto como muitos dos seus processos estão automatizados ou semi-automatizados, o peso pós pandemia, não forçará que elas mudem sua maneira de fazer negócios e elas retomarão gradativamente o ritmo de antes.

Em se tratando de médias e pequenas empresas, pense comigo. Um empresário que é forçado a colocar seus colaboradores a trabalharem de forma remota, em home office, quando tinha sérias dúvidas de que este modelo funcionaria e descobre que alguns dos seus colaboradores rendem mais que antes, com certeza repensará a necessidade de um espaço físico dentro da companhia para manter serviços que podem ser realizados em espaços colaborativos, ou home office. Partindo dessa premissa, esse empresário poderá facilmente reduzir seu espaço físico, reduzindo custos indiretos, e aumentar o investimento em melhorias para setores produtivos.

Profissionais liberais, Micro Empreendedores Individuais, e muitos prestadores de serviço que habitualmente trabalhavam de forma presencial, descobriram uma forma nova de entregar valor e resolver problemas, além disso descobriram que podem quebrar as fronteiras para a entrega de seu serviços em clientes nunca antes buscados. Abre-se um mar de possibilidades, e aqui, ao meu ver, está a “galinha dos ovos de ouro” dessa pandemia. Aqueles que souberem transformar serviços tradicionais em digitais, estes serão impulsionados a um crescimento exponencial.

#Startups, que adoram problemas, terão tantas oportunidades que o desfio será manter o foco no propósito do negócio. O surgimento de opções para soluções de problemas relacionados aos negócios, saúde, finanças, jurídicas, gestão, e tantos outros temas, não sessarão de aparecer e teremos muitas opções a nossa disposição.
Se me permitem um conselho, busque avaliar atentamente o que seu negócio faz, ou fazia. Faça uma autocrítica buscando identificar o que realmente é necessário para entregar o que seu cliente consome e deseja e como deve ser essa entrega. Reavalie seu modelo de negócio para adequá-lo à nova realidade ou direcioná-lo para uma reinvenção. A emergência será a redução de custos e para isso procure profissionais que te ajudem a errar menos.

Autor: Paulo Rösler
Instagram: @pahrosler
Linkedin: https://www.linkedin.com/in/paulo-rosler/

Compartilhe:
Share on whatsapp
Compartilhar
Share on facebook
Compartilhar
Share on twitter
Tweetar
Share on linkedin
Compartilhar
Share on pinterest
Pin
Abrir chat
Precisando de ajuda?
Olá, como podemos te ajudar?